terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Laser com proteção ambiental: Sonho?

Tenho estado longe deste blog, meio "ocupada" acompanhando o início da temporada 2009 de futebol.

Mas, enquanto acompanhava as partidas, uma idéia surgiu e se transformou em um sonho.

A idéia é aliar a proteção ambiental ao laser. O que estou "sonhando" é ver os estádios de futebol sendo auto-suficientes no consumo da energia. Os estádios de futebol têm uma área enorme, e mesmo considerando que muitos não têm cobertura ou apenas parcial, quando há cobertura ela tem uma superfície grande, cerca de 1.000m², se considerarmos apenas um dos laterais do campo. Que poderia receber os painéis com células fotovoltaicas captando a energia solar.

A idéia não é nada inovadora a nível mundial, mas nas terras brasileiras, só soube de um caso isolado - um show de rock, que aconteceu a céu aberto em Santa Catarina em 1998, e cuja experiência aparentemente não se repetiu... Gostaria de ver os poderes públicos constituídos - ou clubes que possuem a sua própria arena - comprando a idéia e instalando de forma permanente os painéis solares nos estádios, dando o exemplo para o povo no seu laser mais popular, o futebol.

Claro que para o pleno aproveitamento da energia solar, é necessário muito mais que painéis solares. Precisa de baterias, conversores, e outros equipamentos. E como prevenção contra a pane ou dias nublados, a rede pública ainda não pode ser descartada.

Suponhamos (estou, neste momento, com preguiça enorme de fazer levantamentos ou cálculos... sorry!) que: entre refletores de 2.000 watts cada, placar luminoso, cabines de imprensa e som, iluminação para o público, lanchonetes, bares e bilheterias, etc, o consumo geral fique em cerca de 90 kwh em cada jogo noturno realizado. Isso dá aproximadamente 300 m² de painéis, uma área muito menor que a cobertura da maioria dos estádios brasileiros. [Observação: Segundo "Greenpeace", cada metro quadrado de um painel pode gerar até 100 watts de potência; num dia com apenas 8 horas de luz solar, cada painel poderia, então, enviar à bateria 0,8 kw a ser armazenado. Sendo assim, o custo maior da instalação talvez fique por conta das baterias de armazenamento que precisam ter uma capacidade total mínima de 100 kw.]

Por outro lado, li algures que, para um consumo familiar de até 70 kwh ao mês, o custo do kit solar (fornecido pelo governo) é cerca de US$ 14,00 por residência. Apesar de a comparação ser uma temeridade (pois, para residências de classe média que buscam isoladamente essa fonte, o custo de instalação pula para cerca de U$ 30.000,00!), somente para efeito de visualização da ordem de grandeza dos valores envolvidos: em termos de kits residenciais subsidiados, a necessidade energética de uma partida de futebol - de 3 horas de duração, entre a chegada do público e a saída do último funcionário - equivale a algo em torno de 1.500 kits do tipo econômico, ou seja, um custo de investimento de US$ 210.000,00 ou R$ 500.000,00. Convenhamos, não é nenhum valor astronômico para uma iniciativa do poder público.

E ainda tem a seguinte vantagem: como durante a maior parte do tempo o estádio fica ocioso, o excedente de energia acumulada poderá ser desviado (mediante convênio com o fornecedor local de energia elétrica) para residências próximas ou para a iluminação das vias públicas, resultando numa boa economia para os cofres públicos e para o executor do projeto.

Observemos que se um clube buscar sozinho essa instalação, sem ajuda do poder público local, o custo poderá ser proibitivo para a maioria. Mas quem sabe, não tão impossível, pois há a possibilidade de redução do valor investido devido à economia de escala. Além disso, acredito que nenhuma prefeitura recusaria fazer o convênio com o clube ajudando na execução do projeto, pois é uma iniciativa de valor social e ambiental inestimáveis e que ganha cada vez maior apoio da própria população.

Bem, os números que expus aqui são estimativas extremamente grosseiras e sem valor algum em termos de um planejamento. A intenção deste post é apenas registrar um sonho meu, esperando que alguém tome isto a sério e faça os levantamentos mais consistentes para viabilizá-la.

Mas, tenho a mais absoluta certeza, a idéia não é nenhum bicho de sete cabeças, nem mirabolante. É totalmente exeqüível, economicamente viável, e de muitos retornos (diretos e indiretos) ao executor e ao meio ambiente.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Energia eólica: cadê as usinas brasileiras?

Hoje deu no jornal online "Último Segundo" a notícia que transcrevo abaixo:

"Energia eólica ganha força no mundo e os EUA lideram crescimento (02/02/2009 - 19:02 - AFP)

A capacidade mundial de geração de energia eólica aumentou 28,8%, em 2008, e os Estados Unidos se tornaram o país com maior potência instalada, de acordo com números do setor divulgados nesta segunda-feira.

O Global Wind Energy Council (GWEC) destaca que Estados Unidos e China registraram os maiores crescimentos na produção de energia eólica, ao final de 2008, ano em que a capacidade mundial de geração de eletricidade dessa fonte subiu para 120,8 gigawatts - energia suficiente para fazer 500 milhões de televisores funcionarem ao mesmo tempo.

"Os números falam por si: existe uma ampla e crescente demanda global de energia eólica, livre de emissões, que pode ser instalada rápida e virtualmente em qualquer parte do mundo", afirmou o secretário-geral do GWEC, Steve Sawyer.

"A energia eólica é a única tecnologia para geração de energia que pode conseguir a redução necessária de dióxido de carbono".

Os EUA contam com 8,35 gigawatts do novo aumento, elevando sua capacidade em 50% e superando a Alemanha como o maior produtor de energia eólica, com um total de 25,1 gigawatts, contra 23,9 gigawatts. O país europeu consegue obter, porém, um percentual maior de sua energia de origem eólica.

"A energia eólica é, com freqüência, a opção mais atraente para a geração de energia, tanto em termos econômicos, quanto no que se refere ao aumento da segurança energética, sem mencionar os benefícios para o desenvolvimento econômico e para o meio ambiente", disse o presidente de GWEC, Arthouros Zervos.

No ano passado, essa energia representou cerca de 42% da nova capacidade energética nos Estados Unidos e um terço na Ásia.

A China duplicou sua capacidade instalada, somando pelo menos 6,3 gigawatts e alcançando 12,2 gigawatts ao todo. Nesse ritmo, o gigante asiático está no caminho para superar Alemanha e Espanha e se tornar o segundo país em termos de capacidade de produção eólica, em 2010, completou o GWEC."

---

Enquanto isso...

O consumo brasileiro atual de energia elétrica é cerca de 424 terawatts-hora por ano (TWh/ano), sendo que cerca de 90% do total produzido vem das usinas hidroelétricas. No entanto, o país tem condições de aumentar em mais dois terços (272 TWh/ano) a oferta de energia a partir da força dos ventos, que atualmente contribuem apenas com 1% da produção energética. No final de 2007 o Brasil possuía uma capacidade de produção de 247 megawatts, dos quais 208 megawatts foram instalados somente em 2006, sendo em grande parte utilizada no bombeamento de água para irrigação. (Fontes: Projeto Brasil e wikipédia)

Considerando que esgotamos a capacidade instalada de usinas hidroelétricas, considerando que a instalação de novas usinas significa destruição de enormes áreas florestais contribuindo ainda mais com o desmatamento e, considerando que a geração de energia termo-elétrica pela combustão do gás natural ou derivados de petróleo significa enorme emissão de CO2, um dos agentes do efeito estufa, eu gostaria de pedir ao governo brasileiro uma atitude eco-responsável por um desenvolvimento REALMENTE sustentável e economicamente viável.

Todas as formas de geração de energia elétrica até hoje empregadas têm custo econômico, ambiental e social elevadíssimos na sua instalação e são devastadoras, poluentes e ou perigosas (caso de usinas nucleares). Não está na hora da tomada de uma posição mais firme dos governantes optando pela energia limpa, como a eólica e solar? Desenvolvimento, sim! mas sem mais sacrifícios para o planeta! E, se isso serve de estímulo, aí está a notícia: até os EUA (e China também), tão relutantes com a sua participação no combate ao aquecimento global, estão dando o exemplo com a utilização da energia eólica! E vale lembrar, energia barata significa competitividade no mundo globalizado.

Gostaria imensamente que os políticos não atrelassem tanto as suas decisões aos apoios dos grupos econômicos estabelecidos que lhes garantem votos nas urnas. Mas gostaria mais ainda que o povo aprendesse a dar o seu voto aos políticos verdadeiramente comprometidos com o desenvolvimento sustentável da nação. Será pedir muito?...

Agora são...

Links:

Abaixo listo alguns links que visito com freqüência e ou gosto bastante por trazerem informações sempre úteis, críticas e conscientes.

- Cidadania, Política e Consciência Crítica:
. Congresso em Foco: O dia-a-dia do nosso Congresso Nacional;
. Observatório da Imprensa: Olhar crítico sobre a mídia
. Transparência Brasil: Política e políticos sob lente de aumento;
. Deu no Jornal: Banco de dados da corrupção no Brasil;
. Opinião e Notícias: Um jornalismo alternativo, de orientação liberal;
. Montbläat: Um jornalismo independente na net;
. Alberto Dines: Opinião deste isuperável jornalista em blog;
. Escritos Infames: blog do Teócrito Abritta, ambientalista, fotógrafo e escritor;
. Náufrago da Utopia: blog do jornalista Celso Lungaretti, ex-guerrilheiro dos anos de ditadura e eterno combatente das injustiças sociais;
. Humberto Laudares: blog muito lúcido sobre política e economia;
. Direitos Fundamentais: blog do George Marmelstein Lima, focando principalmente a filosofia do direito;

E as leis que devem fazer parte do nosso dia-a-dia:
. Código de Defesa do Consumidor: Lei Federal 8.078;
. Estatuto da Criança e do Adolescente: Lei Federal 8.069
. Estatuto do Idoso: Lei Federal 10.741;
. Lei de Crimes Ambientais: Lei Federal 9.605 (atenção para o artigo 32 que estabelece pena de detenção e multa para maltrato de animais!).

- Meio Ambiente:
. SOS Mata Atlântica: ONG com ações concretas e eficientes para salvar a Mata Atlântica;
. Greenpeace Brasil: ONG bastante atuante na defesa do meio ambiente e animais em perigo de extinção (embora meio fanática e agressiva...);
. Planeta Sustentável: portal de Abril e seus patrocinadores, com artigos e dicas para exercício de cidadania ecologicamente sustável;
. Envolverde: muito bom portal sobre meio ambiente e consciência verde;
. Portal das Energias Renováveis: tudo sobre o mundo da energia;
. Sustentabilidade: ambientalismo focado como negócio.

- Animais de Estimação e Proteção Animal:
. Saúde Animal: bastante útil para começar a entender os nossos animais de estimação e cuidá-los bem (cães, gatos, ferrets, aquarismo, etc);
. ANDA: Agência de Notícias de Direitos Animais - e-jornal em defesa dos animais;
. PEA (Projeto Esperança Animal): OSCIP com site bem detalhado sobre proteção animal e campanhas em todo o território nacional, sediada na Grande São Paulo;
. Beco dos Gatos: tudo sobre gatos, esse fantástico mas injustiçado animal de estimação;
. Gatos do Rio: mais informações sobre gatos, e adoção responsável dos gatos do Rio de Janeiro.
. Adote Um Gatinho: ONG semelhante a Gatos do Rio, porém sediada em São Paulo, SP.

- Culinária:
. Livro de Receitas: um dos sites com maior quantidade de receitas que já vi, para todos os gostos;
. Guia Vegano: receitas, ecologia e proteção animal - tudo num lugar só!
. Receitas Vegan: boas receitas para quem não pretende consumir proteína animal;
. Receita Passo a Passo: blog do Beto, um chef tão caprichoso nos seus posts que é impossível vc errar seguindo as suas receitas, simples mas super saborosas;
. Cantinho Vegetariano: blog da Elaine, onde se encontram excelentes e maravilhosas alternativas culinárias para quem precisa ou deseja deixar de comer carne e derivados.

- Laser, Entretenimento, Conhecimentos Gerais:
. AMG: o mais completo banco de dados sobre música (praticamente todos os estilos internacionalmente conhecidos) - em inglês;
. IMDB: tudo sobre o mundo de cinema - em inglês;
. Observatório: blog de astronomia, com belas fotos do mapa celeste;
. National Geographic: dispensa apresentação; este é original - em inglês;
. SuperInteressante: versão online da revista do mesmo nome;
. É Triste Viver de Humor: blog do Marcelo de Andrade, com charges de humor;
. Terceira Via Verdão: site mantido por torcedores do Palmeiras; eu não sou palmeirense, mas há excelentes artigos sobre o mundo do futebol;
. Futebol & Negócio: blog de vários colaboradores, focando o futebol como indústria do entretenimento.

Ocorreu um erro neste gadget