sábado, 29 de novembro de 2008

Castração dos animais de estimação: amor ou crueldade

Apesar das campanhas de castração cada vez mais frequentes e divulgadas, tem ainda muita gente que é contra castrar seus animais de estimação, no caso, cães e gatos. Argumentos contra são vários, mas ou são fruto da desinformação ou da humanização dos animais (também é falta de conhecimento da natureza dos animais).

Vou colocar aqui alguns desses argumentos e explicar onde estão "furados".

1) Coitados! Deixe eles sentirem o gosto da boa transa, eles vão ficar tristes ou infelizes com a falta de tesão.

Resposta: os animais não têm "tesão" do mesmo modo que nós humanos. Sentem, sim, necessidade imperiosa de cruzar caso não sejam castrados, mas o fenômeno é função única e exclusiva dos hormônios. Os humanos, mesmo sem quantidade suficiente de hormônios para uma ereção ou lubrificação, podem imaginar uma situação sexual e "sentir tesão" por antecipação. Caso não tenha condições de satisfazer o desejo, sentem-se frustrados e infelizes. Animais, ao contrário, não imaginam, não antecipam mentalmente uma cópula. Na verdade, os machos reagem basicamente aos odores do sexo oposto quando a produção hormonal está satisfatória e, no caso de fêmeas, quando entram em cio. Uma fêmea fora do cio não desperta interesse algum nos machos, e fêmeas não aceitam copular fora do período fértil. Assim, se não houver produção hormonal, eles simplesmente desconhecem as práticas sexuais, e não se sentem menos felizes por isso.

2) Você já se imaginou sem as suas bolinhas?! quem gostaria de ter suas bolas extirpadas?! Isso é crueldade, mutilação!

Resposta: a mutilação (não deixa de ser...), apesar dessa definição, é extremamente útil para o próprio animal e também para o seu dono. O animal não castrado sente necessidade imperiosa de cruzar. Então, vai seguir todos os rituais de acasalamento, e tentar encontrar um par para realizar o coito. No caso de machos (e se for gato, as fêmeas também) vão urinar por todo o canto para demarcar o território, vai uivar, latir e ganir (ou miar e "cantar") chamando parceiros. No caso de gatos, poderão ainda danificar móveis, tapetes e camas dos donos ou dos vizinhos com arranhões e urina. Todo esse ritual costuma irritar profundamente os humanos, principalmente os vizinhos do dono do animal que podem criar problemas de convivência, ou até mesmo arquitetar assassinato do seu animalzinho. E animais tentarão escapar, para buscar parceiros nas ruas, com consequências muitas vezes trágicas: eles podem ser atropelados, maltratados ou assassinados, machos podem se machucar na luta com outros pela disputa de uma fêmea; podem se envenenar ou adquirir doenças... Já um animal castrado não tem interesse em cruzar, então ficam impassíveis mesmo na presença de outro animal fértil, não realiza nenhum ritual irritante, nem tentará escapar a todo custo, assegurando-se muito maior segurança para si próprio. No caso específico de machos, a extração dos testículos evita também o aparecimento de câncer de próstata, o que permite um melhor prognóstico para a vida desse macho. Estatísticas comprovam que animais castrados e confinados vivem muito mais tempo e muito mais saudáveis. E isso é amor, não crueldade.

3) Deixa elas sentirem-se plenas tendo as suas crias, elas precisam sentir o gosto de serem mães.

Resposta: as fêmeas são mães exemplares. A sua dedicação à cria é digna de admiração humana: nunca se viu uma cadela ou gata jogar seu rebento na lagoa ou lata de lixo. Só que elas são mães dedicadas não por que elas amam a sua cria, mas é por que a natureza lhes dotou de instinto para cuidar dos seus rebentos até que eles possam por si mesmos buscar o seu alimento. Depois de uns 2,5 meses, quase nenhuma fêmea continua cuidando dos filhotes; ao contrário, muitas vezes elas rejeitam o assédio, às vezes até ferozmente. Isso porque o instinto maternal das fêmeas também é governado pelos hormônios, próprios da lactante. Se uma parturiente não tem hormônios suficientes, ela não saberá cuidar dos filhotes. O que significa que, se não der cria, ela não saberá o que é ser mãe. Então, uma fêmea castrada não se sentirá infeliz por não ser mãe, pois jamais experimentará a produção desses hormônios. E relativamente à crendice popular de que ela tem que ter pelo menos uma cria antes de ser castrada, esclareço que essa produção hormonal predispõe as fêmeas a desenvolver câncer de mama e ou de aparelho reprodutivo, ou ainda, uma doença infecciosa no útero chamada piometra. Impedir que elas venham a produzir esses hormônios é evitar o aparecimento dessas doenças extremamente dolorosas e fatais. E, ainda esclarecendo, a ingestão de anticoncepcionais orais ou injetáveis aumenta e muito as chances de desenvolverem câncer, há fêmeas que com apenas uma dose já contraíram câncer de mama!

4) Se todos castrassem os seus animais, logo não haveria mais animais de estimação, ou eles seriam muito caros para adquirir. Você quer colocá-los na lista de animais em extinção?!

Resposta: Antes isso fosse verdade... Veja, "se todos castrassem"; mas a realidade atual é que existem no Brasil cerca de 30 milhões de cães e 14 milhões de gatos COM DONO (dado: ANFAL Pet, relatório 2007), sendo desconhecida a população dos animais sem dono. Desse total com dono, uma parcela significativa está sob guarda de pessoas que moram em zonas com difícil ou nenhum acesso aos serviços veterinários, ou em condições econômicas que impedem que se dê qualidade de vida adequada aos seus pets. Um estudo da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo ainda revela que a quantidade de "animais de rua" é inversamente proporcional aos habitantes humanos de um município, isto é, quanto menor a cidade (e portanto menos guarnecida de serviços públicos) maior é a quantidade de animais de rua per capita. E esses animais não são castrados, pois ninguém cuida da sua saúde, nem de nada. Se, pelo menos os animais com dono fossem castrados, o controle dos animais sem dono ficaria um pouco mais fácil, pois ninguém mais iria abandonar os filhotes indesejados na rua na calada da noite. O crescimento da população do animais sem dono tem exatamente essa origem: como se não bastassem as crias que já nascem nas ruas, os donos que não castram as fêmeas, por não conseguirem doar os filhotes nascidos, abandonam-nos nos parques, nas ruas, nas rodovias... quando não tentam matá-los por afogamento, asfixia, atropelamento. E ainda por cima tem gente que abandona os seus pets já adultos! Mas, os animais são fortes! muitos deles conseguem sobreviver a esse ato de verdadeira crueldade, e se tornam adultos e... se multiplicam.

5) É contra a natureza. Deus dotou todos os mamíferos com função reprodutiva. Quem é você para contrariar esse desígnio?

Resposta: essa é a questão mais difícil, pois aborda a questão de fé. E fé não aceita argumentos... Mas vamos lá. Os animais de estimação nem sempre foram domésticos. Houve um dia, numa época remota, em que os humanos seduziram uns animaizinhos selvagens para serem seus amigos e viverem dentro de suas casas. Houve um longo período de adaptação até que aos poucos eles passaram a fazer parte da família humana. Não foram eles que pediram para serem aceitos, nós é que seduzimo-los. E nós, humanos, temos o que nenhum outro mamífero tem: a inteligência, o conhecimento do passado e antevisão do futuro, o raciocínio, a imaginação, a intencionalidade. E como sabiamente disse Saint-Exupéry, somos responsáveis pelos que nós cativamos. Hoje, nossos pets dependem de nós para tudo, apesar de que animais de rua possam sobreviver sem dono. Se adquirimos um pet, seja comprado seja doado, nós nos tornamos responsáveis pelo seu bem-estar tanto físico quanto psicológico e emocional. Isso inclui, não somente comida e água, mas carinho, cuidados com a sua saúde e com a sua segurança. É amplamente conhecido no meio veterinário que animais não castrados e não confinados vivem bem menos e sujeitos a várias doenças fatais como câncer e piometra, além dos perigos de morte ou invalidez por atropelamentos, envenenamentos, maus tratos, brigas e infectação por doenças várias que, se não tratadas rapidamente podem ser também fatais. Será que evitar essas desgraças é ir contra os desígnios de Deus? E, para piorar, animais vagando pelas ruas são alvo de caçada do pessoal dos Centros de Controle de Zoonoses - CCZ's - que ao capturar esses animais vai levá-los à "prisão municipal" onde, após um período de alguns dias, são mortos em massa. (Com exceção do Estado de São Paulo que promulgou a lei Feliciano proibindo o massacre). Não seria essa chacina ainda pior do que castração, que evita crias indesejadas e ainda melhora a expectativa de vida e qualidade da mesma para os seus pets? Seria desígnio divino matar intencionalmente os nascidos ao invés de evitar o seu nascimento? Castração é ato de amor para com o seu pet e seus descendentes indesejados. Por que amor seria contra a natureza ou Deus?...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Descriminalização do Aborto

Ando muito irritada e preocupada com esse projeto de lei que tramita no Congresso. Os parlamentares estão rachados, e até nos partidos como PT que fechara a questão, há dissidentes. Segundo li por aí, DEM andou fazendo pesquisa de opinião pública e concluiu que mais de 70% da população brasileira é contra a legalização do aborto. Os parlamentares a favor alegam que deve-se assegurar à mulher "a autonomia sobre o seu corpo e sua sexualidade" e que a prática de milhares de abortos clandestinos é uma das causas mais frequentes de óbito entre as grávidas, e que as seqüelas dessas cirurgias ilegais acabam por onerar a saúde pública. Os contra se defendem dizendo que a questão é moral e de foro íntimo... As Igrejas cristãs fazem lobby para não aprovar e parlamentares religiosos se declaram fiéis às suas crenças; outros, em cima do muro, discutem sobre o momento em que um embrião pode ser considerado um ser vivo...

O foco da questão não está em nenhuma dessas discussões! Arre!... Parece que ninguém quer atacar a causa da gravidez interropida, mas tão somente as suas consequências. Por que as mulheres abortam? Porque engravidam "sem querer". E por que ficam grávidas?... Na minha opinião, a cerne da discussão devia ser educação e popularização dos métodos contraceptivos.

Não discordo que a mulher deve ter assegurada a sua autonomia e liberdade em todas as esferas em que atua. Elas podem e devem ter o direito de manter relações sexuais quando e com quem bem entender. Só que liberdade implica, necessariamente, em responsabilidade. Qualquer mulher sabe que, se transar sem devidos cuidados anticoncepcionais, cedo ou tarde ficará grávida. Quer ter a liberdade de copular, tenha a responsabilidade de evitar gravidez! Gravidez indesejada devia acontecer somente entre aquelas que não têm as informações necessárias para evitá-la ou com aquelas que não têm acesso aos métodos contraceptivos e que não conseguem (não?!) evitar uma relação sexual no período fértil.

E outra. A lei que legaliza o aborto só vai favorecer os casais das classes média e alta, que têm poder aquisitivo para pagar a operação, além dos médicos ginecologistas que poderão realizar a cirurgia legalmente. As mulheres de classes inferiores - justamente aquelas menos informadas e que têm menor acesso aos serviços de saúde - essas vão continuar sem assistência, vão continuar usando métodos abortivos condenáveis sob todos os pontos de vista (ou, continuarão tendo a sua prole visando receber Bolsa-Família...) E o Estado, com essa lei, terá lavado as mãos!

Se o governo investisse mais na educação sexual juntamente com a distribuição em massa de pílulas e outros métodos contraceptivos de uso feminino (mas eu sou contra DIU, que é método abortivo assim como são as pílulas do dia seguinte...), não haveria necessidade de legalizar o aborto.

(Ao contrário, eu penso que a lei deveria endurecer ainda mais o cerco. Se gravidez de uma mulher fosse declarada crime em si mesma no caso de indesejada, e houvesse prescrição de penas para as infratoras e seus parceiros, acredito que haveria menos gravidez e consequentemente menos aborto, legal ou ilegal.)

Brasil já tem leis demais... Muitas são boas e modernas, outras nem tanto, mas há leis suficientes para assegurar vida digna para a população, se fossem todas cumpridas. A Constituição assegura o direito à saúde e à educação a toda população residente no país, declara explicitamente os deveres do Estado para cumprir e fazer cumprir essas regras sociais. Assim, NÃO É ADMISSÍVEL que esse Estado promulgue uma lei que contradiz o direito à vida e à saúde desse povo, para ofuscar o problema real que é a omissão dos poderes públicos em atender às leis já existentes.

Hm... eu sei que o assunto é muito polêmico, pois mexe com a própria cultura ainda machista e cristã, cheia de tabus em torno da sexualidade feminina. Mesmo que houvesse pílulas e camisinhas à vontade nas farmácias das escolas onde todas as meninas e meninos pudessem livremente pegar a sua cota mensal, haveria resistência das próprias garotas em se apresentar no guichê para essa retirada. Elas se sentiriam envergonhadas e ou temerosas de estar cometendo uma infração moral. Os professores até hoje não se sentem à vontade para discutir em salas de aula as etiquetas do sexo seguro, essa é a triste realidade. E sistemas de saúde pública deixam muito a desejar no atendimento às mulheres da periferia e ou de classes desprivilegiadas, e nem fazem campanhas maciças de esclarecimento e distribuição de anticoncepcionais. A mídia se esquiva sistematicamente do assunto, raramente tocam nele ou, quando tocam, cercam o tema com ares de fantasia, alienando mais do que informando objetivamente.

Antes de promulgar uma lei que vai contra os termos da própria Carta Magna - que assegura o direito à vida a todos - as autoridades deviam pensar seriamente em investir na mudança da cultura e costumes do povo. É caminho longo a percorrer, mas é muito mais eficaz. E o resultado a médio prazo é economia para o erário público, tanto no sistema de saúde como no judiciário, exatamente como querem os próprios parlamentares autores do projeto de lei.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Guloseima da minha gata

Tenho uma gata, ela já tem 10 anos. Nunca nesses anos ficara doente, mas quando ficou, tive que alimentá-la à força, pois ela recusava-se a comer. E gatos não podem ficar em jejum por mais de 2-3 dias, senão desenvolve lipidose hepática, uma doença que pode ser fatal. Pois bem, ela em seus 9 anos nunca havia comido nada além da sua ração, sempre da mesma marca e mesmo sabor. Claro que estranhou o sabor da sopa que eu lhe enfiava goela abaixo com uso de uma seringa descartável. Durante as várias internações, ela foi alimentada com rações diferentes daquela a que ela estava habituada, e a veterinária andou testando vários sabores e marcas no afã de encorajá-la a comer. Assim, ela perdeu a referência do paladar. Na medida em que melhorava, voltou a comer, mas muito pouco. A veterinária sugeriu que eu lhe oferecesse rações em latas e ou em sachês, aquelas úmidas. Na clínica ela já andava comendo a A/D que é uma ração altamente calórica e rica, própria para convalescentes. Eu experimentei, então além da A/D, as rações da Royal Canin em sachê e Whiskas em lata... mas nada lhe apetecia! e meu dinheiro cada vez mais curto...

Assim, eu resolvi fazer uma comidinha caseira pastosa para dar-lhe, junto com suplemento alimentar e cápsulas de vitaminas. E... não é que deu certo?! Ela começou a comer, no início um pouco, e aumentando a quantidade a cada dia. Na época, ela ia todos os dias para clínica para tomar injeções e soro enriquecido com antibióticos e interferon. Ia de manhã e voltava só no fim da tarde. À medida em que melhorava, ia ficando cada vez mais agressiva, passou a odiar a caixa de transporte... E era tão visível a sua contrariedade quando era obrigada a entrar na caixa! Como ela "entende absolutamente tudo" que a gente fala, eu tentava convencê-la de manhã a ir para clínica dizendo-lhe que se ela fosse boazinha, à tarde eu lhe daria a "comidinha gostosa". E ela cobrava esse agrado todas as tardes.

Ela recebeu alta já há uns 6 meses. Recobrou o peso, voltou a comer ração seca, tem bom apetite. Só que, como todo gato, ela é super metódica e cheia de rotinas: nunca mais abandonou o hábito de cobrar - e ganhar! - a "comidinha gostosa" no final da tarde :)

A receita da "comidinha gostosa" é a seguinte:

Ingredientes:

1 filé de peito de frango, 3 ou 4 fígados de frango, 1/2 cenoura ralada, 1/2 beterraba ralada, 3 ou 4 ramos cheios de espinafre, pitadinha de sal (bem pouco)

Modo de fazer:

Coloco o filé e fígado cortados grosseiramente numa caçarola com água o suficiente para cobrir e cozinho com a pitada de sal durante 30 minutos; enquanto isso, ralo a cenoura e beterraba e pico as folhas e partes tenras do talo de espinafre. Depois de bem cozido, retiro as carnes e coloco na mesma panela os legumes e volto a ferver em fogo baixo por uns 7-8 minutos até os legumes ficarem bem macios. Enquanto isso, pico a carne em pedacinhos bem pequenos e no final do cozimento dos legumes recoloco a carne para cozinhar junto até levantar fervura. O cozido resultante deve ter líquido suficiente para poder bater tudo junto no liquidificador ou processador mas não tanto que pareça sopa. Bato a mistura até obter massa cremosa bastante homogênea e bem triturada. Coloco essa pasta em formas de gelo para congelar. A porção que a minha gata ganha é um cubo dessa massa por dia. O cubo, congelado, eu descongelo (coloco no pires e cubro com a xícara) no microondas por 40 segundos na potência 4. Fica morninho, e eu ainda amasso com garfo para voltar ao aspecto original. A princesa adora!

Posse Responsável

Não gosto muito de orkut, mas às vezes entro para ler posts, em busca de algo interessante. É muito raro opinar, pois parece-me perda de tempo; tudo que eu pudesse dizer já foi dito ou alguém mais vai dizer com mais propriedade... Enfim, muitas vezes entro nas comunidades que tratam de gatos e cachorros, e vejo com satisfação o conceito de Posse Responsável estar sendo propagado. Pelo menos para isso, orkut serve!

Posse Responsável:
  • cuidar bem da alimentação do seu pet - o que significa que se deve dar sempre a ração da "melhor" qualidade possível (claro que nem todo mundo pode comprar ração que custa mais que a cota humana de alimentos por mês) em quantidade e frequência recomendada pelos veterinários.
  • cuidar bem da saúde do seu animal - o que significa que ele tem que consultar o veterinário, no mínimo, anualmente, para um check up geral e vacinação e vermifugação. Se ele apresentar qualquer anomalia comportamental ou física, não tentar medicar por conta própria e muito menos esperar por palpites de "entendidos", mas procurar imediatamente um veterinário de confiança.
  • cuidar bem da segurança do seu animal - o que significa que o seu pet deve ficar confinado dentro da sua casa, só saindo para as ruas sob guarda dos seus donos, na coleira e corrente (caso de cães) ou na caixa de transporte (caso de gatos) e, em caso de cães bravios ou de raça reconhecidamente agressiva, com focinheira. Em caso de viagens ou passeios de carro, jamais permitir que se coloque a cabeça para fora da janela. Se for gato, somente dentro da caixa de transporte.
  • CASTRAR - os seus pets têm instinto sexual que é totalmente dependente dos hormônios; e na fase reprodutiva, eles não têm controle algum sobre o seu comportamento, e tentarão cruzar a qualquer custo se sentir a proximidade de um par do sexo oposto. Isso é verdadeiro tanto para bichos soltos como os confinados em apartamentos no vigésimo andar. Se cruzarem, deixarão descendentes que terão de encontrar respectivos donos... E a população desses animais domésticos excede e muito a capacidade de absorção responsável dos humanos. Mas se não cruzarem, ficarão agressivos ou infelizes e deprimidos, poderão destruir o seu espaço (isto é, a casa do dono onde vive), demarcarão território com urina malcheirosa para desespero dos donos. A solução é a cirurgia de extração de glândulas sexuais, ou seja, castração. Sem hormônios, eles não "saberão" o que é cruzar, serão por toda a vida como filhotes assexuados, sem prejuizo da sua personalidade e capacidades.
Tanto cães como gatos bem cuidados podem viver bem mais que 10 anos, alguns atingindo idades em torno de 20 anos; então o compromisso dos guardiães desses animais de estimação tem prazo bem longo. E como ninguém consegue acolher animais indefinidamente sem comprometer a integridade emocional de todos (humanos e animais), o controle populacional desses animais se torna imperiosa. Não haverá perigo de colocá-los em extinção, já que sempre haverá criadores que disponibilizariam o seu plantel, e todos os indivíduos animais teriam chance de uma vida digna e cheia de amor.

O problema que aqui vejo... e que muitos protetores não enxergam, ou não têm respostas, é que os princípios da Posse Responsável são às vezes impraticáveis ou muito difíceis de se praticar... Há pessoas amantes desses animais que bem gostariam de dar todo o conforto e segurança para os seus animais como reza a cartilha da Posse Responsável, mas, sujeitas às limitações tais como: não têm condições econômicas o suficiente para bancar todo o custo que um pet demanda; moram em residências alugadas podendo mudarem-se para espaços mais reduzidos; moram em zona rural, sem condições de telar todas as possíveis aberturas para fuga; moram em pequenas cidades sem veterinários ou até mesmo sem lojas de ração para pets ou farmácias veterinárias... O absurdo é que tenho visto algumas "protetoras" afirmando no orkut que essas pessoas deviam se abster de acolher animais. E aí, pergunto: essas protetoras recolheriam todos esses animais que não foram adotados, por que os candidatos a serem seus guardiães são pobres ou por que moram em zona rural ou longe dos grandes centros urbanos?! Tenho certeza de que essas "protetoras" extremistas são minoria. É infinitamente melhor acolher um animal abandonado, dar-lhe abrigo, amor e alimento - ainda que não ideal - do que deixá-lo ao relento, correndo mil perigos, morrendo de solidão, fome, doenças e desamor. Nessas circunstâncias, é melhor o mínimo do que nenhum cuidado!

Muitos protetores e voluntários dedicam suas horas para conscientizar a população local sobre os princípios acima, e colaboram ao máximo com os donos, atuais ou futuros, a castrar os seus animais. Vários veterinários fazem campanhas individuais de castração a preço de custo, também. E cada vez mais prefeituras se engajam nessas campanhas de castração a preços simbólicos ou a custo zero.

Mas, para que os problemas de super-população e consequente abandono e ou maus tratos dos animais tenham uma solução definitiva, acredito que os poderes públicos devem tomar a dianteira dessa missão.

O executivo deve prestar o serviço de castração e cadastramento em todo o território nacional; o legislativo deve promulgar leis que tornem a castração obrigatória (com exceção dos "criadores", sujeitos a cadastro próprio e licenças especiais do IBAMA) assim como o implante de microchips em todos os animais; o judiciário deve aplicar a Lei de Crimes Ambientais - Art. 32 com rigor exemplar.

E a sociedade civil terá de fazer mais também. Se todos os porfessores de ensino fundamental e médio assumissem para si a tarefa de incluir aulas sobre Posse Responsável, se as indústrias voltadas a pets devotassem parte dos seus imensos lucros nessa educação e na distribuição de vacinas, vermífugos e rações de boa qualidade mais baratas... Ha! acho que já comecei a delirar, rs.

Mas, seria um mundo tão melhor se tudo isso acontecesse...

NÃO COMPRE PETS, A D O T E ! ! !

domingo, 23 de novembro de 2008

Receitas com pimentões coloridos

Ontem tive que refogar uns pimentões para não perder. Eram 4 pimentões, dois verdes, um amarelo e outro vermelho, sendo os verdes pequenos, dando uma quantidade igual aos outros que eram bem grandes. Depopis de refogar com cebola, fiquei pensando na melhor receita para aproveitar. Daí achei algumas receitas bem populares, práticas e bonitas visualmente. Eis algumas delas:

1) Macarrão Colorido

Ingredientes:
  • 2 colheres (sopa) de cebolinha picada
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 12 azeitonas verdes picadas
  • 1 pimentão vermelho bem picado
  • 1 pimentão amarelo bem picado
  • 1 pimentão verde bem picado
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 cebola ralada
  • Cheiro verde
  • 500 gramas de talharim
  • Sal a gosto
Modo de preparo:

Em uma panela derreter a manteiga e dourar a cebola, pimentões, azeitonas, cheiro verde, deixar refogar bem. A seguir acrescentar o creme de leite colocar o sal e mexer. Reservar. Cozinhar o macarrão em água e um pouco de sal (eu costumo adicionar um fio de óleo para deixar soltinho), assim que estiver cozido escorrer bem e colocar em uma travessa e em seguida despejar o molho por cima. Servir.
(fonte: Livro de Receitas)

Meu comentário: a mais popular, rápida e fácil receita. Nota 10 :) Talvez uns cubinhos de queijo prato, ou fatias de muzzarella cortada em tirinhas incrementasse ainda mais o prato. Também reservaria umas folhinhas de salsinha para decorar no final.

2) Frango Colorido

Ingredientes:
  • 1 kg de coxa e sobrecoxa de frango
  • 1 pimentão verde
  • 1 pimentão vermelho
  • 1/2 xícara (chá) de azeitonas (verde ou preta) picadas
  • 1 colher (sopa) de alcaparra (opcional)
  • 2 colheres (sopa) de salsa picada
  • 3 dentes de alho cortados em lascas
  • 2 cebolas fatiadas
  • sal, pimenta, azeite, louro e orégano á gosto
Modo de preparo:

Tempere o frango com o sal e pimenta e reserve-o. Retire as sementes dos pimentões e, em seguida, corte os em fatias. Em um prato fundo, junte a cebola, a azeitona, a alcaparra, o louro, a salsa, o orégano, os pimentões e o alho. Regue essa mistura com azeite e junte-a ao frango. Coloque tudo num refratário, cubra com papel alumínio e leve ao forno, em temperatura média, por cerca de 45 minutos. Depois, retire o papel e deixe-o dourar.
(fonte: Receitas-ONLINE)

Meu comentário: fácil, barato e prático; pena que use forno - eu odeio usar forno, o trabalho para limpá-lo depois muitas vezes me desanima de tentar a receita, mas esta acho que vale a pena. Nota 8.

3) Badejo Colorido

Ingredientes:
  • 1 kg de filé de badejo (cherne, namorado, cação)
  • 1 pimentão vermelho
  • 1 pimentão amarelo
  • 1 pimentão verde
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 3 tomates sem pele nem sementes
  • 1 colher de sopa de salsa
  • 1 colher de sopa de cebolinha
  • 1 garrafa de leite de côco
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 pitada de cominho em pó
  • azeite
  • sal e pimenta malagueta a gosto
Modo de preparo:

Corte os pimentões, a cebola, o alho e os tomates em rodelas finas. Em uma frigideira grande, aqueçer o azeite e colocar a cebola e o alho, refogando um pouco até a cebola ficar transparente. Juntar o tomate, a cebolinha, a salsa, temperar com o sal, a malagueta, o cominho e refogar por uns 3 minutos.
Em outra panela, dourar rápidamente o peixe em pouco azeite e colocar o leite de coco e o molho da frigideira. Refogue um pouco, acrescente os pimentões e cozinhe por 10 minutos. No fim, junte o creme de leite, misturando delicadamente.
(fonte: So Receitas)

Meu comentário: barato, fácil e diferente, de sabor nodestino, embora não seja muito prático, pois eu não costumo manter leite de coco ou pimenta malagueta na minha dispensa. De qualquer modo, é uma receita que vou tentar assim que possível, adoro peixe! Nota 7.

----------

Achei ainda uma receita premiada de bacalhau com purê de batatas, mas essa já é muito elaborada, usa forno, e um tanto cara... Quem sabe, tentarei numa ocasião especial, como Natal. Para quem quiser experimentar, o endereço do site é Petit Chef

sábado, 22 de novembro de 2008

Jigsaw

Achei algo interessante e legal, para matar o tempo. Quando não se tem nada a fazer, ou melhor, não se quer fazer nada, é um bom passatempo. Algum leitor quer tentar?



Essa é a minha primeira tentativa de colar um aplicativo externo... vamos ver se funciona.

HAHAHA! Funcionou! :)

Acerca deste blog

Vou falar aleatoria e caoticamente tudo que vier à cabeça... Afinal, não tenho intenções especiais ao iniciar um blog, pretendo que isto seja mais um passatempo para mim mesma (e se agradar a alguém, melhor ainda). Gostei do Blogger por causa dos gadgets e adicionei alguns no final da página. Pena que muitos gadgets sobrecarregam a página e meu computador não suporta... Fico com Van Gogh e gatos, mas gostaria de adicionar muitos artistas mais! De resto... gosto de me informar e, de tudo um pouco. Vamos ver no que vai dar. Com tempo, aprendo mais a mexer com as ferramentas. Por ora, é só isso, somente falar do propósito - ou falta dele - para iniciar essa jornada.

Agora são...

Links:

Abaixo listo alguns links que visito com freqüência e ou gosto bastante por trazerem informações sempre úteis, críticas e conscientes.

- Cidadania, Política e Consciência Crítica:
. Congresso em Foco: O dia-a-dia do nosso Congresso Nacional;
. Observatório da Imprensa: Olhar crítico sobre a mídia
. Transparência Brasil: Política e políticos sob lente de aumento;
. Deu no Jornal: Banco de dados da corrupção no Brasil;
. Opinião e Notícias: Um jornalismo alternativo, de orientação liberal;
. Montbläat: Um jornalismo independente na net;
. Alberto Dines: Opinião deste isuperável jornalista em blog;
. Escritos Infames: blog do Teócrito Abritta, ambientalista, fotógrafo e escritor;
. Náufrago da Utopia: blog do jornalista Celso Lungaretti, ex-guerrilheiro dos anos de ditadura e eterno combatente das injustiças sociais;
. Humberto Laudares: blog muito lúcido sobre política e economia;
. Direitos Fundamentais: blog do George Marmelstein Lima, focando principalmente a filosofia do direito;

E as leis que devem fazer parte do nosso dia-a-dia:
. Código de Defesa do Consumidor: Lei Federal 8.078;
. Estatuto da Criança e do Adolescente: Lei Federal 8.069
. Estatuto do Idoso: Lei Federal 10.741;
. Lei de Crimes Ambientais: Lei Federal 9.605 (atenção para o artigo 32 que estabelece pena de detenção e multa para maltrato de animais!).

- Meio Ambiente:
. SOS Mata Atlântica: ONG com ações concretas e eficientes para salvar a Mata Atlântica;
. Greenpeace Brasil: ONG bastante atuante na defesa do meio ambiente e animais em perigo de extinção (embora meio fanática e agressiva...);
. Planeta Sustentável: portal de Abril e seus patrocinadores, com artigos e dicas para exercício de cidadania ecologicamente sustável;
. Envolverde: muito bom portal sobre meio ambiente e consciência verde;
. Portal das Energias Renováveis: tudo sobre o mundo da energia;
. Sustentabilidade: ambientalismo focado como negócio.

- Animais de Estimação e Proteção Animal:
. Saúde Animal: bastante útil para começar a entender os nossos animais de estimação e cuidá-los bem (cães, gatos, ferrets, aquarismo, etc);
. ANDA: Agência de Notícias de Direitos Animais - e-jornal em defesa dos animais;
. PEA (Projeto Esperança Animal): OSCIP com site bem detalhado sobre proteção animal e campanhas em todo o território nacional, sediada na Grande São Paulo;
. Beco dos Gatos: tudo sobre gatos, esse fantástico mas injustiçado animal de estimação;
. Gatos do Rio: mais informações sobre gatos, e adoção responsável dos gatos do Rio de Janeiro.
. Adote Um Gatinho: ONG semelhante a Gatos do Rio, porém sediada em São Paulo, SP.

- Culinária:
. Livro de Receitas: um dos sites com maior quantidade de receitas que já vi, para todos os gostos;
. Guia Vegano: receitas, ecologia e proteção animal - tudo num lugar só!
. Receitas Vegan: boas receitas para quem não pretende consumir proteína animal;
. Receita Passo a Passo: blog do Beto, um chef tão caprichoso nos seus posts que é impossível vc errar seguindo as suas receitas, simples mas super saborosas;
. Cantinho Vegetariano: blog da Elaine, onde se encontram excelentes e maravilhosas alternativas culinárias para quem precisa ou deseja deixar de comer carne e derivados.

- Laser, Entretenimento, Conhecimentos Gerais:
. AMG: o mais completo banco de dados sobre música (praticamente todos os estilos internacionalmente conhecidos) - em inglês;
. IMDB: tudo sobre o mundo de cinema - em inglês;
. Observatório: blog de astronomia, com belas fotos do mapa celeste;
. National Geographic: dispensa apresentação; este é original - em inglês;
. SuperInteressante: versão online da revista do mesmo nome;
. É Triste Viver de Humor: blog do Marcelo de Andrade, com charges de humor;
. Terceira Via Verdão: site mantido por torcedores do Palmeiras; eu não sou palmeirense, mas há excelentes artigos sobre o mundo do futebol;
. Futebol & Negócio: blog de vários colaboradores, focando o futebol como indústria do entretenimento.

Ocorreu um erro neste gadget