terça-feira, 11 de agosto de 2009

Pupunha congelada

Como "quase-vegetariana" que sou, adoro todos os vegetais, entre os quais o palmito. Mas já faz muito tempo que não o consumo pelo fato de ele ser geralmente extraído na mata nativa clandestinamente de forma predatória, contribuindo para a extinção da espécie.

Então soube que pupunha, uma espécie de palmeira que também fornece o palmito, é a única que não morre quando se corta, podendo assim ser consumido sem "dor na consciência". (Mais informações sobre essa palmeira pode ser lido aqui, na Wikipedia.)

O problema é que pupunha que tenho encontrado está em conserva, e tenho evitado todo tipo de latarias e conservas industriais, por que na sua maioria eles levam muitos produtos químicos na composição tornando o alimento menos saudável.

Então estava em busca desse palmito que NÃO levasse conservantes, para substituir essa delícia culinária, e hoje encontrei no blog O Guia Verde a ótima notícia dada pela Marcia Bindo: o palmito da pupunha cozida e congelada sem aditivos e com Selo Verdeencontra-se à venda na cidade de São Paulo. Mas eu não moro mais na capital... Sem pânico! como a rede Pão de Açúcar faz parte dos varejistas, há boas chances de encontrar esse palmito também fora da metrópole.

Para se praticar cozinha ecológica, não precisa sacrificar o paladar nem se abster de coisas boas! Esse produto vem dar mais essa prova de que pode-se comer bem sem maltratar a natureza.

Vou reproduzir abaixo o texto da Marcia na sua íntegra, que também pode ser lido aqui.

~~~

"Eu confesso: adoro palmito – palmito na salada, torta, de palmito, empada de palmito, pastel de palmito, enfim.. até que descobri que é ecologicamente incorreto consumir palmito – ele é justamente o miolo das palmeiras que são inteiramente cortadas para a extração. Ou seja, a extração do palmito implica na morte da Palmeira e tem colocado em risco as espécies das quais é obtido, sobretudo a espécie Euterpe edulis, a mais procurada. A alternativa que tem sido estudada são os palmitos vindos da palmeira de pupunha que, diferente das demais espécies de palmito, brota e cresce depois de cortado, evitando a devastação de florestas. Esse papo todo é pra dizer que acabou de ser lançado uma linha de pupunha congelado da empresa São Cassiano. Pré-cozido e 100% natural, sem nenhum conservante ou aditivo químico, o novo produto chegará aos supermercados e empórios em duas diferentes versões: picado (R$ 10,75) e em fios (R$ 13,80). É o único a possuir o Selo Verde, garantindo ao consumidor que o produto não agride as florestas tropicais. A marca é utilizada por grandes chefs de cozinha no Brasil, como Alex Atala, que prepara no restaurante DOM um Fettucini de Pupunha à Carbonara, Bel Coelho, Claude Troisgros, Flávia Quaresma e Viko Tangoda. Receitas desses e outros chefs podem ser conferidas no site da São Cassiano. E os produtos já podem ser encontrados nestes endereços: Pomar da Vila, Rua Mourato Coelho, 1458. e Supermercado Yaya, Rua Tutóia, 430.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Um homem no esgoto

Não sei por quê, lembrança de um fato veio-me à memória fazendo-me pensar sobre o ser humano e humanidade.

Na época, o que vi foi muito forte e me deixou um terrível gosto amargo de remorso que custei a "esquecer". Que voltou tão fresco e imbatível como a própria lembrança da cena que ressuscitou das cinzas do meu passado...

Não me lembro para onde estava indo, eu viajava num ônibus nas ruas de São Paulo, sentada ao lado da janela por onde eu olhava distraída as cenas urbanas da metrópole onde vivia. Numa esquina, o farol fechou e o ônibus parou, à beira de um dos muitos rios que cortam a cidade, naquela época ainda sem canalização, puro esgoto a céu aberto.

Olhando pela janela, chamou-me a atenção um homem de pé dentro desse rio. A água lhe cobria os tornozelos e ele estava totalmente nu. Nas mãos um sabão que ele esfregava na sua cabeleira, fazendo muita espuma que escorria pela nuca e costas. Ele estava tomando banho! naquele rio cuja água era quase preta, e aos olhos de quem passasse por ali.

Mas ele não parecia constrangido; ao contrário, eu quase conseguia ouví-lo cantar. A sua nudez era tão inocente como a de uma criança, e o homem estava feliz com o seu pedaço de sabão e água do rio que lhe permitiam tomar um banho. Depois de quanto tempo?... pela trouxa disforme abandonada na margem do rio, era claro que se tratava de um indigente. Um "loser", um perdedor expulso da sociedade constituída, sem lar, sem emprego, sem os itens mais básicos de uma vida "civilizada", e eventualmente sem mais pudores ou raciocínio que caracterizam a mesma sociedade a que ele não pertencia mais. Mas o prazer de um banho e do asseio ele não havia perdido.

Um borbulhinho dentro do ônibus, os demais passageiros também perceberam o homem no rio. Ouvi comentários, alguns jocosos, outros irados, e eu fuzilei os passageiros com meu olhar. O meu coração estava em rebuliço, não sabia se o que sentia era uma empatia muito grande pelo homem feliz ou uma grande raiva pelo mundo que o condenou à tamanha miséria que o obrigava a tomar banho no esgoto.

O meu impulso era de descer do ônibus e tentar ajudar o homem a reencontrar o caminho de volta à "civilização". Mas o que eu poderia fazer? Era jovem e ignorante, também desempregada, não tinha dinheiro siquer para saldar o aluguel do mês, e vivia numa cidade hostil e desconhecida, sem ninguém que me amparasse. E essa mesma cidade não iria amparar esse homem tampouco se até aquele momento não o tinha feito.

O sinal abriu, o ônibus reiniciou o movimento. A cena do banho ficou para trás, e pessoas pareciam esquecer em seguida o que haviam acabado de presenciar. Eu permaneci sentada, igual aos demais passageiros, não tomei nenhuma atitude que a minha consciência ditava que devia.

Passadas décadas desde então, os costumes mudaram mas a miséria continua e a inocência cada vez mais conspurcada. Hoje vemos crianças se prostituindo e consumindo drogas nas ruas sob olhar de todos que passam ao seu lado, igual aos transeuntes que assistiram à cena do homem no rio. O consumo de droga me parece uma tentativa de buscar a felicidade que a sociedade lhes nega como negou àquele indigente. Mas aquele homem encontrou uma brecha e viveu um momento de genuína felicidade num banho, enquanto que as crianças pobres de hoje estão presas nas mãos da parcela da sociedade que é mais do que indiferente, é criminosa. Há que se fazer algo por elas, basta de comodismo. Dizer que o esforço individual não resolve os problemas do mundo é tentar justificar o injustificável, como eu tentei no passado sem conseguir me convencer.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Pequena Contribuição ao Meio Ambiente

O planeta continua o seu processo de aquecimento graças aos governantes e povos que não abrem mão das riquezas materiais, conforto e poder. A consciência de que cada um tem que fazer a sua parte parece que está bem disseminada, porém pouco praticada.

Louvável é o fato de cada vez mais pessoas estarem reciclando o seu lixo, empresas adotarem os papéis reciclados... mas será que não dá para fazer mais?

Num dos sites que listei ao lado sobre a reciclagem de carbono que emitimos, calculei a quantidade equivalente de CO2 para cada atividade. Vejam só:

Gás de cozinha: 1 botijão de gás equivale a 0,46 ton de CO2 (460 kg);
Gás canalizado: 1 m3 equivale a 0,025 ton de CO2;
Energia elétrica: 100 kwh equivale a 0,04 ton de CO2;
1000 km rodados com carro pequeno movido a álcool: 0,3 ton CO2;
1000 km rodados com carro pequeno movido a gasolina ou gás: 1,7 ton CO2;
1000 km rodados com carro pequeno "flex": 1,17 ton CO2.

(Recomendo a todos que entrem nos sites e façam a sua conversão também. É bom saber o quanto estamos contribuindo para o aquecimento global.)

Aí muitos já deram várias dicas de como reduzir a nossa emissão. Mas há certas práticas difíceis de habituar.

Por exemplo: muitos já bateram na tecla de economia da energia elétrica que é tirar os aparelhos do "stand-by". Mas quantas famílias praticam esse ato de conectar e desconectar os aparelhos da tomada toda vez que quer ouvir um som, assistir à TV ou DVD, aquecer um prato no microondas?... Além de esses aparelhos serem muitos ultimamente, a tomada geralmente fica escondida atrás e de difícil acesso.

Outro exemplo: muitos cozinham as suas refeições no forno. Tem pessoas que, mesmo morando sozinhas, chegam a usar o forno quase que diariamente! Entre pre-aquecimento e cocção, são quase uma hora de forno ao dia. Claro, o sabor de alimentos cozidos ou assados no forno é especial, mas precisa usá-lo todo dia?!

E nem falo da demora no banho diário, do uso do carro próprio para ir a qualquer lugar... são hábitos muito difíceis de mudar. Mas não custa tentar, certo?! Principalmente se houver meios que facilitem o nosso dia-a-dia.

Para o problema de tirar os aparelhos do stand-by, a solução que encontrei foi colocar um estabilizador ao lado da TV na sala. Em casa, são 5 aparelhos eletrônicos, então procurei pelo estabilizador com 5 saídas (foi um pouco difícil de encontrar, mas existe).

Apesar de ser bem mais caro que um "benjamin", o estabilizador tem várias vantagens que são insuperáveis:

- não quebra a estética da sala, mesmo sendo colocado num lugar bem acessível;
- permite desconectar todos os aparelhos com um só toque; ou, se quiser desconectar apenas um aparelho, o alcance da tomada é imediato;
- estabiliza a flutuação da tensão e corrente além de possuir um fusível para sobrecargas, o que torna o seu uso uma garantia adicional para a saúde dos aparelhos.

Para o microondas, não teve jeito, desconecto na tomada. Mas já faço isso com outros eletrodomésticos como liquidificador, processador, batedeira, aspirador de pó... Foi questão somente de trazer a tomada para uma posição mais acessível e criar o hábito, o que foi mais fácil e rápido que os demais hábitos... (A propósito, recomendo que faça o mesmo; descobri que o microondas consome cerca de 10 a 15 kwh/mês ficando em stand-by! Relógio caro e gastão, não é mesmo?)

E sempre que puder, prefira o microondas para cozinhar e assar os seus pratos. Além de significar menor emissão de CO2, muitos alimentos cozinham mais rápido no microondas do que no forno ou no fogão, e é mais eficiente sob ponto de vista energético, pois há muito pouca perda. Com a queima do gás, muito calor é dissipado para o ambiente sem aproveitamento para a cocção.

E com microondas ainda tem a vantagem de não perder os nutrientes para a água de cozimento, uma vez que a maioria dos alimentos possui água própria (exceção aos grãos e farináceos) e requer adição mínima da mesma no recipiente que vai para o forno.

Apagar a luz do ambiente vazio... Esse é outro hábito aparentemente difícil de adquirir. Em casa foi bem fácil, aqui é muito raro ter um cômodo com luz acesa quando não há ninguém. Mas a solução para uma família renitente seria a instalação de interruptores sensíveis ao movimento e luz, desses que existem nos halls de elevador dos prédios. Se voltar a construir uma casa (a que construímos um dia, tivemos que vender...), pretendo colocar essa idéia em prática :)

Quanto ao uso intensivo do carro... Ai, cada um sabe das suas necessidades, e é notório que a questão de segurança e tempo consumido no trânsito praticamente impedem as pessoas de saírem de casa a pé... Mas, nesse caso, considere seriamente trocar de carro por um movido a álcool. Sempre soube que álcool é menos poluente que gasolina ou diesel, mas o pequeno cálculo que fiz me provou o quanto. Além de ser combustível renovável, o álcool é SEIS vezes menos poluente que gasolina e ainda mais em relação ao diesel (que não cheguei a calcular...)

A questão de economia monetária (álcool roda menos que gasolina por litro) é irrelevante frente à grande economia que se faz na emissão de gás carbônico, pois ele roda bem mais que 1/6 de kilometragem rodada com gasolina.

E claro, cuide bem do seu veículo. Um motor bem regulado e lubrificado, velas limpas, pneus calibrados, catalisador e filtros em boas condições e injetor regulado e desobstruído fazem uma grande diferença no consumo do combustível.

E, finalmente... Plante árvores! Os sites listados ao lado idreito deste post permitem que a sua emissão de CO2 seja compensada pelas árvores que as entidades plantam e cuidam para nós. Em especial, recomendo o site Click Árvore onde se pode plantar gratuitamente uma muda de espécie nativa da Mata Atlântica por dia, significando que em um ano cada um de nós terá contribuído com 365 árvores que irão reabsorver o gás carbônico que nós emitimos.

Se cada um fizer o que estiver ao seu alcance, talvez o planeta consiga sobreviver!

Agora são...

Links:

Abaixo listo alguns links que visito com freqüência e ou gosto bastante por trazerem informações sempre úteis, críticas e conscientes.

- Cidadania, Política e Consciência Crítica:
. Congresso em Foco: O dia-a-dia do nosso Congresso Nacional;
. Observatório da Imprensa: Olhar crítico sobre a mídia
. Transparência Brasil: Política e políticos sob lente de aumento;
. Deu no Jornal: Banco de dados da corrupção no Brasil;
. Opinião e Notícias: Um jornalismo alternativo, de orientação liberal;
. Montbläat: Um jornalismo independente na net;
. Alberto Dines: Opinião deste isuperável jornalista em blog;
. Escritos Infames: blog do Teócrito Abritta, ambientalista, fotógrafo e escritor;
. Náufrago da Utopia: blog do jornalista Celso Lungaretti, ex-guerrilheiro dos anos de ditadura e eterno combatente das injustiças sociais;
. Humberto Laudares: blog muito lúcido sobre política e economia;
. Direitos Fundamentais: blog do George Marmelstein Lima, focando principalmente a filosofia do direito;

E as leis que devem fazer parte do nosso dia-a-dia:
. Código de Defesa do Consumidor: Lei Federal 8.078;
. Estatuto da Criança e do Adolescente: Lei Federal 8.069
. Estatuto do Idoso: Lei Federal 10.741;
. Lei de Crimes Ambientais: Lei Federal 9.605 (atenção para o artigo 32 que estabelece pena de detenção e multa para maltrato de animais!).

- Meio Ambiente:
. SOS Mata Atlântica: ONG com ações concretas e eficientes para salvar a Mata Atlântica;
. Greenpeace Brasil: ONG bastante atuante na defesa do meio ambiente e animais em perigo de extinção (embora meio fanática e agressiva...);
. Planeta Sustentável: portal de Abril e seus patrocinadores, com artigos e dicas para exercício de cidadania ecologicamente sustável;
. Envolverde: muito bom portal sobre meio ambiente e consciência verde;
. Portal das Energias Renováveis: tudo sobre o mundo da energia;
. Sustentabilidade: ambientalismo focado como negócio.

- Animais de Estimação e Proteção Animal:
. Saúde Animal: bastante útil para começar a entender os nossos animais de estimação e cuidá-los bem (cães, gatos, ferrets, aquarismo, etc);
. ANDA: Agência de Notícias de Direitos Animais - e-jornal em defesa dos animais;
. PEA (Projeto Esperança Animal): OSCIP com site bem detalhado sobre proteção animal e campanhas em todo o território nacional, sediada na Grande São Paulo;
. Beco dos Gatos: tudo sobre gatos, esse fantástico mas injustiçado animal de estimação;
. Gatos do Rio: mais informações sobre gatos, e adoção responsável dos gatos do Rio de Janeiro.
. Adote Um Gatinho: ONG semelhante a Gatos do Rio, porém sediada em São Paulo, SP.

- Culinária:
. Livro de Receitas: um dos sites com maior quantidade de receitas que já vi, para todos os gostos;
. Guia Vegano: receitas, ecologia e proteção animal - tudo num lugar só!
. Receitas Vegan: boas receitas para quem não pretende consumir proteína animal;
. Receita Passo a Passo: blog do Beto, um chef tão caprichoso nos seus posts que é impossível vc errar seguindo as suas receitas, simples mas super saborosas;
. Cantinho Vegetariano: blog da Elaine, onde se encontram excelentes e maravilhosas alternativas culinárias para quem precisa ou deseja deixar de comer carne e derivados.

- Laser, Entretenimento, Conhecimentos Gerais:
. AMG: o mais completo banco de dados sobre música (praticamente todos os estilos internacionalmente conhecidos) - em inglês;
. IMDB: tudo sobre o mundo de cinema - em inglês;
. Observatório: blog de astronomia, com belas fotos do mapa celeste;
. National Geographic: dispensa apresentação; este é original - em inglês;
. SuperInteressante: versão online da revista do mesmo nome;
. É Triste Viver de Humor: blog do Marcelo de Andrade, com charges de humor;
. Terceira Via Verdão: site mantido por torcedores do Palmeiras; eu não sou palmeirense, mas há excelentes artigos sobre o mundo do futebol;
. Futebol & Negócio: blog de vários colaboradores, focando o futebol como indústria do entretenimento.

Ocorreu um erro neste gadget