sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Escolinha de futebol: esboço inicial de um projeto

Estou pensando nas várias hipóteses de ação para "salvar" um clube de futebol. Visto que um clube virtualmente falido não consegue empréstimos no mercado financeiro e dificilmente consegue patrocinadores de peso, e visto que a sua marca não tem valor quase nenhum no mercado local e muito menos em todo o território nacional, comecei a pensar nos clubes desde o seu objetivo fundamental enquanto uma "empresa".

Uma empresa inserida no mundo capitalista, qual é o seu objetivo? É angariar lucro, vendendo o seu produto. No caso de um clube de futebol, o seu produto imediato é o entretenimento dos espectadores das suas partidas. Mas só a renda da bilheteria não fecha a contabilidade, isso é fato. Os clubes vendem uma mercadoria cujos custos de produção superam e muito o faturamento que os espetáculos proporcionam. Mesmo os clubes com as finanças em dia, e tendo projeção nacional ou até internacional, não conseguem equilíbrio financeiro, só o alcançando com negociações bem sucedidas dos passes dos seus jogadores. Esses clubes precisam, então, de fontes de suprimento de novos jogadores para repor os que são vendidos. Para um clube deficitário ou pre-falimentar, a realidade é a mesma, não muda. Para almejar alcançar uma posição ao menos estável no mercado do entretenimento, esses clubes têm que manter um plantel competitivo. Como conseguir essa proeza?

Os clubes grandes possuem a divisão de Categoria de Base forte, onde os meninos são treinados com todas as assistências (psicológicas, educacionais, nutricionais...) além do salário, o que demanda uma verba fabulosa para sua manutenção. Mas, eles podem, têm cacife, muitos deles têm parceiros que arcam com todas as despesas... E clubes pequenos, que não têm cacife nem parceiros?

Não sei se se aplica o meu seguinte raciocínio a todos os clubes pequenos... mas, se um clube possui um mínimo de infra-estrutura, a saída para a montagem de uma Categoria de Base que ainda não existe, seria a montagem de uma Escolinha de Futebol bem organizada primeiro.

Uma Escolinha é um empreendimento à parte, onde (espera-se!) a renda provém das mensalidades pagas pelos pais dos alunos. Na maioria das cidades, a Secretaria de Esportes (ou de Integração Social, ou do Bem Estar do Menor, ou quaisquer outras secretarias congêneres da prefeitura) costuma também ajudar esses projetos de alcance social. Se bem planejada, essa Escolinha pode ser a fonte dos jogadores juvenis para a Categoria de Base que, por sua vez, será a fonte de jogadores profissionais para o clube e, quem sabe, ser ainda fonte de lucro para todo o clube se algum jogador revelado fosse vendido para clubes maiores.

Do que é que necessita uma Escolinha para ser montada? Começa pelo campo de treinamento provido de vestiário. Que atenda a todos os alunos com idades entre 11 e 16 anos (muitas escolinhas começam com meninos de idades ainda menores...) Talvez seja necessário também uma cantina onde esses meninos possam receber o seu lanche e descansar. Suprimento de uniformes "baratos" que os pais possam comprar para seus filhos. Estou pensando numa Escolinha local, mas se o projeto crescer, haverá a necessidade de alojamento e contrato com escolas regulares que dêem prioridade de matrícula para os meninos de fora. Um escritório equipado para atender todos os trabalhos de secretaria e marketing. Uma sala de aula. E enventualmente um veículo com motorista para transporte dos meninos, caso o campo esteja localizado num lugar de difícil acesso.

A nível de pessoal, haverá a necessidade de um diretor/gerente, um assessor de marketing e comunicação, uma ou duas secretárias, dois ou mais treinadores e um ou mais serviços gerais.

Considerando que a maioria dos meninos que buscam matrícula numa escola de futebol povém de lares pobres, a escola dificilmente poderia contar com o pagamento satisfatório de mensalidades. As despesas deverão contar com a verba do município para serem honradas. Mas vamos supor que esse clube não reúna condições para fazer jus ao auxílio do poder público. Então alguém teria de abrir essa "escola-empresa" para iniciar os trabalhos. Quanto de capital esse alguém teria de dispor para começar? e quanto tempo para que a contabilidade feche no equilíbrio? Pois essa pessoa não poderia almejar ter lucro imediato com esse empreendimento, embora deva ser ressarcida de todo o capital investido.

Entretanto, com CNPJ próprio e razão social desvinculada do clube, a escola, mesmo que seja uma entidade sem fins lucrativos, poderá um dia gerar "lucro".

Vamos fazer outro exercício de levantamento de despesas... (A propósito, cometi erros cavalares na previsão anterior. Um clube de futebol profissional da 1ª divisão tem muito mais pessoas envolvidas e gasta muuuito mais do que eu previ!)

Digamos que o clube entre com o campo de treinamento, vestiário e cantina, além do espaço para a montagem do escritório e local para guarda de materiais, além da cessão de alguma sala para reuniões, entrevistas e palestras.

De material, a escola precisa de:

- 1 veículo para transporte dos alunos (van, micro-ônibus ou ônibus);
- 3 computadores em rede; uma impressora muiti-funcional; softwares para administração;
- móveis;
- telefone;
- acesso a internet;
- bolas (pode-se usar as usadas pela equipe profissional, mais bolas nº 4...);
- outros materiais de treinamento (cones, varas, etc...)
- uniformes em estoque;

(Esqueci de mais alguma coisa?...)

De despesas mensais:

Folha de pagamento:
- 1 assessor de marketing e comunicação (poderia ser um estagiário?...)
- 1 secretária "faz-tudo"
- 1 motorista
- 2 treinadores
- 1 ou 2 serviços gerais

Logística:
- combustível
- contas de telefone e internet
- manutenção do veículo e dos equipamentos de informática

Despesas administrativas:
- material de escritório
- contador
- taxas e impostos
- contas de luz, telefone, etc
- gráficas

...

Tentando imaginar o dia-a-dia dessa escola, vejo que uma van talvez não seja suficiente. Um clube pode oferecer um campo de treinamento, mas esse campo nem sempre estará disponível para a escolinha. Daí será necessário a cada dia levar as turmas para outros campos disponíveis. Aqui na minha cidade, a prefeitura possui vários campos espalhados em todos os bairros, mas suponho que eles devam ter um calendário de ocupação bastante cheio. Lembrando que uma escola tem turmas de idades diversas e que não dá para misturar um garoto de 11 anos com jovem de 16; e considerando que cada criança vai para a escola regular num horário diferente (alguns vão de manhã com a tarde livre, outros vão à tarde, com a manhã livre), serão várias turmas de idades diferentes em ambos os períodos do dia... Vamos ver como fica:

2 Turmas de 11 e 12 anos: aulas às 2ª e 5ª (1 pela manhã, outra à tarde)
2 Turmas de 13 e 14 anos: aulas às 3ª e 6ª (1 pela manhã, outra à tarde)
2 Turmas de 15 e 16 anos: aulas às 2ª, 4ª e 6ª (1 pela manhã, outra à tarde)

2ªs feiras: haverá duas aulas pela manhã e duas à tarde (turmas de 11-12 anos e as de 15-16 anos)
3ª, 4ª e 5ªs feiras: uma aula por período (turmas de 13-14 anos às 3ª, de 15-16 anos às 4ªs, e de 11-12 anos às 5ªs feiras)
6ªs feiras: duas aulas pela manhã e duas à tarde (turmas de 13-14 anos e de 15-16 anos)

E, aos sábados, torneios... ou palestras para todos.

Se uma aula tiver 1,5 horas de duração, e estimando-se em mais 1,5 horas o tempo de translado de cada turma, às 2as. e às 6as feiras o dia será extremamente corrido tanto para os treinadores como para o motorista... (ah, e esse motorista tem que ter licença para dirigir veículos escolares!) Hm... e será que essa quantidade de aulas é suficiente?

Acredito que os treinadores devem ser especializados nas respectivas faixas etárias, principalmente o treinador do sub 17, que esse tem a responsabilidade de preparar os meninos para a categoria de base. Eventualmente, o treinador sub 15 possa assumir as turmas sub 13 também... aí, seriam dois treinadores. Será que treinador de goleiros é necessário para uma escolinha?...

Enquanto as turmas treinam, o motorista e um serviços-gerais podem usar o tempo para fazer compras, principalmente o lanche da turma que, nos dias em que vão para campos fora do clube, podem ser consumidos nesses locais.

O serviço do escritório também será bastante "pesado"... Há a necessidade de, antes de tudo, elaborar o calendário dos campos onde treinar, mediante acordos com a prefeitura e o próprio clube. (Pensando agora, acho que a turma dos 15-16 anos deveria treinar preferencialmente no clube, onde eles podem usar a sala de ginástica e iniciar o contato com o mundo do futebol profissional). Há que manter em dia o cadastro dos alunos com seu desempenho, perfil psicológico, etc e pagamento das mensalidades e ou aquisição de bolsas-incentivo, o calendário de torneios promovidos pela prefeitura e outras entidades, controlar o estoque dos uniformes e providenciar os lanches de todos os alunos, fazer a contabilidade e escriturar o fluxo de caixa, planejar e executar campanhas de marketing da escola, buscar parceiros e patrocinadores...

Vamos tentar imaginar agora quantos alunos uma cidade ofereceria a uma escolinha. A minha cidade tem cerca de 600 mil habitantes. Considerando-se que a população de baixa renda esteja em torno de 20%, são 120 mil habitantes pobres, ou, cerca de 30 mil famílias sobrevivendo com renda inferior a 3 salários mínimos. Talvez haja outros 30 mil lares com renda um pouco melhor, digamos até 6 salários mínimos, com possibilidade de pagar a mensalidade escolar. Vamos chutar que 10% desses lares tenham filhos entre 11 e 16 anos com vontade de jogar futebol. Serão 3 mil meninos sem condições de pagar a escola e mais 3 mil com alguma possibilidade de pagar. Hm... se essa matemática precária estiver dentro da realidade, pelo menos a ocupação da escolinha é um sucesso desde já! Vamos admitir que tenhamos um ônibus ao invés de van para transporte desses meninos. Nesse caso, podemos absorver de 30 a 40 alunos por turma, ou seja, duas turmas de cada faixa etária dão 180 a 240 alunos no total. Se metade desses alunos pagarem a mensalidade, serão cerca de 100 mensalidades garantidas. Mas... não se pode cobrar um valor muito elevado, ou ninguém se matriculará. Coloquemos um valor simbólico, 20 reais. Isso não paga o salário do treinador! Melhor colocar o valor mais elevado, e implantar um sistema de bolsa-incentivo para os alunos que se destacarem. A propósito, quanto será que a prefeitura oferece de ajuda para uma escolinha de futebol?... Uma academia de ginástica, com aprelhagem para musculação apenas, costuma cobrar uma mensalidade entre 40 e 60 reais num bairro de classe operária. Vamos começar com o valor-teto, 60,00. E admitamos que 30% dos alunos consiga pagar. Serão 3.600,00 por mês. Outros 30% poderiam pagar metade? e se outros 30% possam pagar 10,00 e 10% não consiga pagar nada, seriam mais 2.400,00. Ainda é totalmente insuficiente...

Tentando estimar o custo...

Treinador: 2.000,00 cada? Nesse caso, serão 4.000,00 com 2 treinadores;
Secretária: 1.300,00
Assessor de marketing e comunicação (admitindo-se que vamos usar um estagiário): 700,00 meio-período
Serviços Gerais (um só...): 700,00
Motorista: 1.000,00
Subtotal folha de pagamento: 7.700,00
Encargos trabalhistas (80%): 6.160,00
Total custo com pessoal: 13.860,00

Para cobrir somente o custo do pessoal, haveria necessidade de que 100% dos alunos paguem 80,00 de mensalidade, ou ter 700 alunos todos pagando 20,00. Ambas as hipóteses são totalmente irreais para esse projeto inicial.

Pior é que a Lei de Incentivo ao Esporte do governo federal exclui o futebol, por ser um esporte profissionalizado. Mesmo sendo uma escolinha, é na prática muito difícil de obter a verba diretamente do Ministério do Esporte e Cultura, ainda mais se a escolinha mantiver algum vínculo com um clube profssional... Resta o apoio do governo local e esperar que ele atenda as reivindicações de uma escolinha que tem como missão "principal" tirar os jovens da rua e dar-lhes um preparo para a vida adulta, seja no futebol, seja em outras áreas.

Gostaria muito de incluir nesse projeto mais dois profissionais... Um professor de Educação Física (AAAHHH!!! mas, ele pode ser o próprio treinador! aliás, acredito que uma escolinha deve ter um Responsável Pedagógico uma vez que lida com crianças e adolescentes. Pronto, essa questão já está resolvida. Nossos treinadores serão graduados em Ed. Física com especialização em futebol! rsrsrs) e um psicólogo de adolescentes. E, se fosse possível, um nutricionista e um assistente social, esses para dar apoio às famílias dos jovens com orientação na alimentação barata e sadia e solução de problemas que normalmente prejudicam a motivação e costume dos jovens. E um convênio médico-odontológico também seria muito oportuno, para detectar os possíveis problemas de saúde dos pequenos atletas em formação.

Enfim... mais um delírio que desperta à dura realidade.

Adendo: encontrei um site interessante (Cooperatia de Fitness - Seção Futebol), com várias perguntas e respostas sobre o futebol. O site é http://www.cdof.com.br/futebol16.htm e em particular, há algumas perguntas específicas, para futuras consultas:
- sobre preparação física de jovens atletas com resposta dando uma série de links: http://www.cdof.com.br/consult130.htm#2068
- como administrar uma escolinha: http://www.cdof.com.br/consult191.htm#3415
- artigo sobre a realidade dos clubes pequenos: http://www.cdof.com.br/futebol20.htm

Nenhum comentário:

Agora são...

Links:

Abaixo listo alguns links que visito com freqüência e ou gosto bastante por trazerem informações sempre úteis, críticas e conscientes.

- Cidadania, Política e Consciência Crítica:
. Congresso em Foco: O dia-a-dia do nosso Congresso Nacional;
. Observatório da Imprensa: Olhar crítico sobre a mídia
. Transparência Brasil: Política e políticos sob lente de aumento;
. Deu no Jornal: Banco de dados da corrupção no Brasil;
. Opinião e Notícias: Um jornalismo alternativo, de orientação liberal;
. Montbläat: Um jornalismo independente na net;
. Alberto Dines: Opinião deste isuperável jornalista em blog;
. Escritos Infames: blog do Teócrito Abritta, ambientalista, fotógrafo e escritor;
. Náufrago da Utopia: blog do jornalista Celso Lungaretti, ex-guerrilheiro dos anos de ditadura e eterno combatente das injustiças sociais;
. Humberto Laudares: blog muito lúcido sobre política e economia;
. Direitos Fundamentais: blog do George Marmelstein Lima, focando principalmente a filosofia do direito;

E as leis que devem fazer parte do nosso dia-a-dia:
. Código de Defesa do Consumidor: Lei Federal 8.078;
. Estatuto da Criança e do Adolescente: Lei Federal 8.069
. Estatuto do Idoso: Lei Federal 10.741;
. Lei de Crimes Ambientais: Lei Federal 9.605 (atenção para o artigo 32 que estabelece pena de detenção e multa para maltrato de animais!).

- Meio Ambiente:
. SOS Mata Atlântica: ONG com ações concretas e eficientes para salvar a Mata Atlântica;
. Greenpeace Brasil: ONG bastante atuante na defesa do meio ambiente e animais em perigo de extinção (embora meio fanática e agressiva...);
. Planeta Sustentável: portal de Abril e seus patrocinadores, com artigos e dicas para exercício de cidadania ecologicamente sustável;
. Envolverde: muito bom portal sobre meio ambiente e consciência verde;
. Portal das Energias Renováveis: tudo sobre o mundo da energia;
. Sustentabilidade: ambientalismo focado como negócio.

- Animais de Estimação e Proteção Animal:
. Saúde Animal: bastante útil para começar a entender os nossos animais de estimação e cuidá-los bem (cães, gatos, ferrets, aquarismo, etc);
. ANDA: Agência de Notícias de Direitos Animais - e-jornal em defesa dos animais;
. PEA (Projeto Esperança Animal): OSCIP com site bem detalhado sobre proteção animal e campanhas em todo o território nacional, sediada na Grande São Paulo;
. Beco dos Gatos: tudo sobre gatos, esse fantástico mas injustiçado animal de estimação;
. Gatos do Rio: mais informações sobre gatos, e adoção responsável dos gatos do Rio de Janeiro.
. Adote Um Gatinho: ONG semelhante a Gatos do Rio, porém sediada em São Paulo, SP.

- Culinária:
. Livro de Receitas: um dos sites com maior quantidade de receitas que já vi, para todos os gostos;
. Guia Vegano: receitas, ecologia e proteção animal - tudo num lugar só!
. Receitas Vegan: boas receitas para quem não pretende consumir proteína animal;
. Receita Passo a Passo: blog do Beto, um chef tão caprichoso nos seus posts que é impossível vc errar seguindo as suas receitas, simples mas super saborosas;
. Cantinho Vegetariano: blog da Elaine, onde se encontram excelentes e maravilhosas alternativas culinárias para quem precisa ou deseja deixar de comer carne e derivados.

- Laser, Entretenimento, Conhecimentos Gerais:
. AMG: o mais completo banco de dados sobre música (praticamente todos os estilos internacionalmente conhecidos) - em inglês;
. IMDB: tudo sobre o mundo de cinema - em inglês;
. Observatório: blog de astronomia, com belas fotos do mapa celeste;
. National Geographic: dispensa apresentação; este é original - em inglês;
. SuperInteressante: versão online da revista do mesmo nome;
. É Triste Viver de Humor: blog do Marcelo de Andrade, com charges de humor;
. Terceira Via Verdão: site mantido por torcedores do Palmeiras; eu não sou palmeirense, mas há excelentes artigos sobre o mundo do futebol;
. Futebol & Negócio: blog de vários colaboradores, focando o futebol como indústria do entretenimento.

Ocorreu um erro neste gadget